« The Subalterns | Main | Carrà »

Mais uma vez prados

São os sinos,
são os sinos de igreja que
no meio da noite
me atormentam.

São as escadas espirais
talhadas em pedra e traição.

É a janela do quarto,
retângulo de madeira,
aberta de madrugada
e um lobo-guará
como guarda-noturno.

São os sinos da igreja
ou o grito desesperado
de uma requinta
anunciando os dias escoados.

Heitor Ferraz Mello

A sua opinião?

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 24 de outubro de 2007.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

pub




Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/07 Ana Roque | Powered by TubarãoEsquilo | Editado com Movable Type | Top