12 de agosto de 2019

Felice Casorati

Felice Casorati.jpg

Proporcionalidade

Em exatas proporções
a tempestade principia
e depois
o caos
se encarrega
de carregá-la
para longe
no longo caminho
onde se dispersa
em miúda chuva
de poucos ventos

as proporções
se restabelecem
em nova tormenta.

Pedro Du Bois

11 de agosto de 2019

O Valor do Amor

Não podes possuir um ser humano. Não podes perder aquilo que não possuis. Supõe que eras o dono dele. Poderias realmente amar alguém que não é absolutamente nada sem ti? Queres realmente alguém assim? Alguém que cai por terra mal sais pela porta? Não queres, pois não? E ele também não. Estás a virar toda a tua vida para ele. Toda a tua vida, rapariga. E se isso significa tão pouco para ti que podes simplesmente jogá-la fora, entregar-lha, então porque é que isso significaria alguma coisa mais para ele? Ele não pode valorizar-te mais que o valor que te dás a ti própria.

Toni Morrison, in 'Song of Solomon'

Eric Ravilious

Eric Ravilious.jpg

10 de agosto de 2019

Baba de caracol

É no teu corpo que as palavras se perdem
vives num reino de pedras e quietude
animais mansos duros impenetráveis

os teus gestos perpetuam-se no tempo
- só a esboçar levam anos, não há morte para ti -
e é no espaço que se engastam para sempre

E no teu corpo como se nada fosse(s)
vão morrer os gestos e as palavras

Rui Caeiro

09 de agosto de 2019

Livro de Afectos

Fica e é só o que fica: o primeiro encontro
o primeiro beijo numa gare deserta
o mar por líquida ou aérea testemunha

depois a longa gestação do adeus
único e verdadeiro adeus
o subtil envenenamento da memória

Rui Caeiro

08 de agosto de 2019

Georges de Feure

Georges de Feure8.jpg

Do que conta

Falamos de nós omitindo o que não fizemos -- os fracassos, o que não tive a coragem de fazer ou correu mal, a pessoa com quem não casei, o filho que não tive, o livro que não consegui escrever ou publicar. Tudo isso, que faz parte do que somos, é como se não contasse. Mas conta.

Javier Marías

05 de agosto de 2019

Georges de Feure

Georges de Feure9.jpg

A Forma Justa

Sei que seria possível construir o mundo justo
As cidades poderiam ser claras e lavadas
Pelo canto dos espaços e das fontes
O céu o mar e a terra estão prontos
A saciar a nossa fome do terrestre
A terra onde estamos -- se ninguém atraiçoasse -- proporia
Cada dia a cada um a liberdade e o reino
-- Na concha na flor no homem e no fruto
Se nada adoecer a própria forma é justa
E no todo se integra como palavra em verso
Sei que seria possível construir a forma justa
De uma cidade humana que fosse
Fiel à perfeição do universo

Por isso recomeço sem cessar a partir da página em branco
E este é meu ofício de poeta para a reconstrução do mundo

Sophia de Mello Breyner Andresen

29 de julho de 2019

Reza

Não dói as costas, dói a carga.
Não doem os teus olhos, dói a injustiça.
Não dói a tua cabeça, doem os teus pensamentos.
Não dói a garganta, dói o que não se expressa ou se expressa com raiva.
Não dói o estômago, dói o que a alma não digere.
Não dói o fígado, dói a raiva.
Não dói o teu coração, dói o amor.

Anónimo

28 de julho de 2019

Georges de Feure

Georges de Feure.jpg

Sophia, o Mito

Era chegado o tempo de assistir, já não de intervir. De parar, já não de agir. De ouvir, já não de falar. Entregar-se. Como só os atores sabem fazer.

Isabel Nery

26 de julho de 2019

Lotte Laserstein

Lotte Laserstein 1.jpg

Temas

Insisto sobre o tema
investimentos feitos
insuspeitos lucros
no lado avistado
de dentro
de fora
pelo lado

vidas recolhidas
escolhos
destroços
no avançar
em noites
de dias claros

o investimento compensa
os lados vislumbrados
tenho você
como o todo
o nada
e o outro lado.

Pedro Du Bois

agosto 2019

Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31

Arquivo


&

Primeiro endereço

© 2004/12 Ana Roque | Powered by Querido.org | Editado com Movable Type | Top