Modus vivendi

"Werde der du bist."   Goethe

blogue de Ana Roque

30 de Novembro de 2022

Paul Gustav Fisher



30 de Novembro de 2022

Fumo

Deitaram fogo às silvas ao longo da estrada.
Interrogo-me sobre o que o domina, pode o vento
Segurar aquela fulva cobra nas colinas,
Longe das casas?

Parecem tão seguros do que conseguem fazer.
Eu sou incapaz inclusive
De me conter a mim própria, corro
Até que o fumo alaranjado se fixe na terra.

Medbh McGuckian


28 de Novembro de 2022

O melhor modo de esperar

Digamos, por exemplo:
de um dado ponto fora da lua
apenas e tão-somente uma perpendicular
poderá delinear a dita lua.

Ou também:
chama-se barroco a todo aquele
para quem a distância menor
entre dois pontos
é a curva.

Proposição:
passar de uma poética da moral
à moral poética.

Exemplo:
de dois perigos deve precaver-se o homem novo:
da direita quando é destra
da esquerda quando é sinistra.

Em resumo:
mais vale ser cabeça de leão do que cauda de rato.

O melhor modo de esperar é ir ao encontro.

Mario Trejo


27 de Novembro de 2022

Henri Toulouse-Lautrec



27 de Novembro de 2022

pássaros perdidos

Amo os pássaros perdidos
que retornam do além,
confundindo-se com um céu
que jamais poderei recuperar.

Retomam as memórias,
as jovens horas que ofereci,
e do mar chega um fantasma
feito de coisas que amei e perdi.

Foi tudo um sonho, um sonho que perdemos,
como perdemos os pássaros e o mar,
um sonho breve e antigo como o tempo
que os espelhos não podem espelhar.

Depois tentei perder-te em tantas outras
e todas e aqueloutra eram vós;
logrei por fim aceitar quando um adeus é adeus,
devorou-me a solidão e fomos dois.

Regressam os pássaros nocturnos
que voam cegos sobre o mar,
a noite inteira é um espelho
que me devolve a tua saudade.

Sou apenas um pássaro perdido
que retorna do além
confundindo-se com um céu
que jamais poderá recuperar.

Mario Trejo


26 de Novembro de 2022

Reflexos

O espelho em cima da lareira reflecte o quarto
reflectido na janela; olho para o espelho à noite
e vejo dois quartos, um onde a esquerda é direita
e o outro, para lá da janela reflectida, correcto,
mas aí eu fico de costas para as minhas costas. O
candeeiro surge três vezes no espelho, duas na janela,
o fogo no espelho fica a duas salas da janela,
o fogo na janela fica a uma sala do terraço,
o meu quarto real está entalado entre manipulações
da noite da luz do vidro e em ambas as direcções
consigo ver as luzes da rua através e além dos reflexos
no exterior onde as divisões interiores encalharam,
onde talvez um táxi atravesse a estante com livros
que não são para ler e estão junto ao fogo
que não dá calor e é transposto pela minha secretária
onde não poderei escrever já que não sou canhoto.

Louis MacNeice


25 de Novembro de 2022

Amedeo Modigliani



25 de Novembro de 2022

Depois de ti

Depois de ti
o dilúvio: esgotaram-se as imagens
e não posso mudar o que diziam:
um esvaziamento, uma degradação,
que em pouco tempo tornam
o real absoluto no real possível:
e nunca mais hei-de sentir o mundo
tão alto como os versos e não o contrário,
e nunca mais poderei dizer a ninguém:
os teus olhos são tão belos como os teus olhos.

Pedro Mexia


24 de Novembro de 2022

coragens

é enorme a tristeza que um homem e uma mulher
podem gerar entre si
como enormes são aqueles dois passaritos parados
num galho a bicarem-se
e enorme é a própria árvore com chuvas sob o sol
que se lhe vê no rosto

choverá? não choverá? será isso
que cantam os passaritos? continuará a enorme
tristeza mandando crescendo como um lago ou mar
entre um homem e uma mulher?

voará a tristeza entre árvore e árvore?
como passos solitários numa habitação?
como madréporas pelo ar?
como tábuas como pontes porém desoladas desamadas?

um ramo caiu no lago e navega
é enorme a tristeza que um homem e uma mulher
podem gerar entre si
como enorme é a navegação do ramo no lago
encharcado da sua própria coragem

Juan Gelman


23 de Novembro de 2022

Joachim Patinir



23 de Novembro de 2022

O espelho

Esse que em mim envelhece
assomou ao espelho
a tentar mostrar que sou eu.
Os outros de mim,
fingindo desconhecer a imagem,
deixaram-me, a sós, perplexo,
com meu súbito reflexo.
A idade é isto: o peso da luz
com que nos vemos.

Mia Couto


22 de Novembro de 2022

O Tempo Aprazado

Tem seu triunfo a morte, o amor é festejado,
e o grande Tempo e o tempo futuro.
A nós nenhum triunfo é dado.
À nossa volta só um afundar de astros. Eco de luz, sem voz.
Mas, sobre o pó, a canção do futuro
soará para além de nós.

Ingeborg Bachmann, trad. Judite Berkemeier e João Barrento


22 de Novembro de 2022

o sopro do vento

Os homens dizem muito conhecer
Mas, vede, quanta fantasia-
Ciências, artes , os saberes,
Mil utensílios de sabedoria,
Mas o sopro do vento
É tudo o que o corpo entende.

Henry David Thoreau, trad. Ana Luísa Amaral


21 de Novembro de 2022

Franz Marc