« O mar é longe | Main | Romney »

Remembrança

Falo de ti
sob os ásperos semáforos
da rua que quase enlouqueceu.
E rememoro tuas pernas e teus braços
e ponho a mão onde puseste o passo
eco da antiga claridade que era assim.
E abrindo a tampa do oblíquo alçapão,
sob todos os cílios, baixo as pálpebras
acossada por centenas de pássaros
cheirando a ervas ruminadas
na boca trêmula da dupla lua.
Eu transeunte, embora,
de uma outra,
nesta rua louca, perdida, impregnada,
dobro a esquina onde uma rapariga se esfuma
guarida alhures, lá, pelas bandas do mar.
Então, rouca, choro e saúdo uma nova lua
clara, tão clara, tão rara!
Onde se avivam rastros de mim.

Inez Figueredo

A sua opinião?

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 10 de janeiro de 2008.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

pub




Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/07 Ana Roque | Powered by TubarãoEsquilo | Editado com Movable Type | Top