« Canção primaveril | Main | Goya »

Desdia Inteiro

Vezeiro em ver asas no dinheiro,
dele nunca me atrevi expôr-me
à amizade; pronome primeiro
dos que se querem enormes,

queima-me o bolso – e seu cheiro
me açula. Por isso, credor meu,
creia-me: pra mim só inteiro
é o dia, se nulo. Desforme

a sina, o que amo não me ímã:
e anti-Midas, me dista e detesta
o que atrai. Mas traio-me na rima

avessa: no que cavo cova, festa;
sou um mendigo se em cima –
a ter algo meu, prefiro a sesta.

Ronaldo Bressane

A sua opinião?

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 24 de fevereiro de 2008.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

pub




Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/07 Ana Roque | Powered by TubarãoEsquilo | Editado com Movable Type | Top