« Bonnard | Main | Chant For Dark Hours »

O futuro?

Inútil é que te aflijas:
nada podes acerca do teu destino.
Se és prudente, aproveita o momento atual.
O futuro?
Sabes o que ele te reservará?...

Omar Kháyyám, tradução Cecília Meireles

comentários (1)

vbm:

Omar Khayyam foi a experiência mais notável
da minha juventude e condigno contrapeso
ao delírio nietzscheano de Zaratustra.

Dois autores que me acompanharam
toda a vida, só há pouco tempo
conseguindo subordinar
Nietzsche a Espinosa
e Platão!

Uma só aparente 'libertação',
porquanto o próprio Nietzsche
reconheceu Espinosa como

um irmão de pensamento

e confessou a um amigo
quanto platonizava
ao escrever Zaratustra!


Fica-me assim Khayyam, intocado,
na sua perene sublimidade
de ser lúcido:

Estudei muito quando moço.
Tive muito mestre eminente.
Orgulhei-me, regozijei-me
De meus progressos e triunfos.
Quando evoco o sábio que eu era,
Comparo-o à água, que se amolda
à forma do vaso, e à fumaça,
Que é dissipada pelo vento.

:)

A sua opinião?

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 26 de fevereiro de 2008.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

pub




Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/07 Ana Roque | Powered by TubarãoEsquilo | Editado com Movable Type | Top