« Palácio do Quirinal | Main | Vagabundo »

Para alguns

Para alguns - não é lei.
Na hora de cumprir
O sono justo, quase santo,
Para alguns não há dormir:

Olho aceso - e no recesso
Da pétala: não és tu!

Para alguns - não é norma:
Na hora de dessedentar
As bocas da discórdia -
Para alguns não há beber:

Mente acesa - e os punhos
Cerrados - nas areias!

Para alguns, sem a evasiva -
Custa caro a vida.

Marina Tzvietáieva, trad. de Felipe e Nina Guerra

comentários (1)

luisa matias:

ola este poema e lindo

A sua opinião?

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 19 de abril de 2008.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

pub




Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/07 Ana Roque | Powered by TubarãoEsquilo | Editado com Movable Type | Top