« Magritte | Main | Magritte »

Todo o tempo

Ver-te é como ter à minha frente todo o tempo
é tudo serem para mim estradas largas
estradas onde passa o sol poente
é o tempo parar e eu próprio duvidar mas sem pensar
se o tempo existe se existiu alguma vez
e nem mesmo meço a devastação do meu passado

Ruy Belo

comentários (1)

T:

bonito, pois a falta de pontuação faz com que os verbos se choquem em entre-frases (caso exista isso!)
exemplifico:
"Ver-te é como ter à minha frente todo o tempo é tudo serem para mim...."

A sua opinião?

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 12 de dezembro de 2009.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

pub




Secção

Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/07 Ana Roque | Powered by TubarãoEsquilo | Editado com Movable Type | Top