« Paul Delvaux | Main | De vários e diversos problemas »

uma solidão mais vasta

Penso no teu coração, como água
perdida num deserto
que em vão espera quem mate aí a sede.
Penso nele como uma árvore florida
em plena noite, que ninguém vê,
senão de vidros em fuga um viajante
que o tédio ou negócios levam para longe.

Como ave atemorizada
pelos lacunários de outrora
dos quais não encontra a saída e apenas cria
com o seu estridor uma solidão mais vasta.

Alessandro Parronchi, trad. Vasco Gato

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 05 de outubro de 2016.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/12 Ana Roque | Powered by Querido.org | Editado com Movable Type | Top