« Nicolaes Maes | Main | Nicolaes Maes »

Só acredita em milagres quem quer

É incrível, olha, a brincadeira na rua:
Toda a gente foi dormir e pulas,
vagarosamente nua,
como se fosse tua, a tua rua,
e a cidade fosse tua.

É incrível, olha, a casa pula e pula
(ingénua como se fosse um primeiro dia),
a acordar ecos, virgens, vertigens
e viagens.

Raro de raro (pois),
um momento feliz resistir ao dia próximo.

Berlim, berim pim pim

Antes que esqueça, ou me assalte a inteligência
(quiçá um dia aconteça),
quero que saibas:
No primeiro de cada segundo, para lá da biblioteca,
quis ser fantasma
de nós dois
(e não estava, afinal, inteiramente esquecido).

Não há palavras, de facto, para a ternura que não temos.
E a rua, onde nasce a poesia,
é sempre tua.

Rui A.

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 14 de maio de 2017.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/12 Ana Roque | Powered by Querido.org | Editado com Movable Type | Top