« A voice | Main | Milton Dacosta »

Ventos da distância

Que estranha visão terá de ti
o rio que passa
e ao qual os poetas inutilmente oferecem
areias de ouro e de Byron?

Umas vezes oblíqua aos olhos de quem ama
a liquidez das cúpulas sonoras
onde ondulam as casas
na sua pulsação
nervosa e feminina.

Outras vezes erecta e pombalina
talhada para letras
de câmbio
velha receptara
e hoje só senhora
dum tempo fixo e mudo
indiferente à pedra.

Mas mais das vezes crespa
nas ondas ruidosas
erguidas da terra ébria
vasto espelho de bar
para novas aventuras.

E na boca do fim

à beira de um mar de quem não teve infância
só os monumentos
eventos
- ventos da distância.

Armando Silva Carvalho

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 02 de junho de 2017.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/12 Ana Roque | Powered by Querido.org | Editado com Movable Type | Top