« Dragão medievo | Main | Viver »

Na idade do vulgar

Tínhamos entrado, tudo o indicava, com precipitação e por toda a parte ao mesmo tempo, na idade do vulgar. Estas gentes, herdeiras indignas de um espírito que tinha iluminado a Europa, retiravam o prazer e o comum da sua conversa do espectáculo quotidiano de marionetas de borracha que supostamente representavam os grandes deste mundo, representações em que o grosseiro dos traços não cedia senão à estupidez estereotipada das réplicas: julgavam ver nisso um tom de Molière. Esquecera-se o humor em favor da chalaça, a insolência em favor da canalhice.

Olivier Rolin, in Porto-Sudão, trad. João Duarte Rodrigues

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 07 de abril de 2019.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/12 Ana Roque | Powered by Querido.org | Editado com Movable Type | Top