« Primeira morada de silêncio | Main | O brilho fugaz das palavras »

Fados

Nasce o dia na cidade, que me encanta
Na minha velha Lisboa, de outra vida
E com um nó de saudade, a garganta
Escuta um fado que se entoa à despedida…
E com um nó de saudade, a garganta
Escuta um fado que se entoa à despedida…

Foi nas tabernas de Alfama, em hora triste,
Que nasceu esta canção, o seu lamento
Na memória dos que vão tal como o vento,
O olhar de quem se ama e não desiste…
Na memória dos que vão tal como o vento,
O olhar de quem se ama e não desiste

Quando brilha a antiga chama ou sentimento,
Oiço este mar que ressoa enquanto canta
E Da Bica à Madragoa, num momento,
Volta sempre esta ansiedade da partida,
Nasce o dia na cidade que me encanta,
Da minha velha Lisboa de outra vida…

Quem vive só do passado sem motivo,
Fica preso a um destino que o invade,
Mas na alma deste fado, sempre vivo,
Cresce um canto cristalino, sem idade.
Mas na alma deste fado, sempre vivo,
Cresce um canto cristalino, sem idade.

É por isso que imagino, em liberdade,
Uma gaivota que voa, renascida,
E já nada me magoa ou desencanta
Nas ruas desta cidade amanhecida.

Mas com um nó de saudade na garganta
Escuto um fado que se entoa à despedida!

Fernando Pinto do Amaral, cantado por Carlos do Carmo no filme Fados, de Carlos Saura (Prémio Goya para a Melhor Canção Original)

comentários (2)

vbm:

Sucedeu-me, outro dia, ouvir essa canção na rádio, às duas ou três da manhã, no silêncio da casa e, impressiona bastante a veemência do canto. No filme, porém, gostei mais da Lucília do Carmo. Também, nessa noite fortuíta do rádio, ouvi e gostei imenso da emoção e entrega com que a Argentina Santos cantava a "Vida vivida"! :) Há no You Tube. Diz-me o que achas :)

abraço,
vasco

ana r.:

Caro vbm, não calhou ver o filme. Gosto muito de fado, mas não em qualquer momento ou em qualquer suporte. Ainda hoje comentávamos, em casa, que há uma geração de fadistas muito interessante - a Cristina Branco, a Mafalda Arnaut, a Argentina Santos, o Camané, a Mariza - com uma sonoridade muito cativante (e, pelo menos alguns deles, juntam o conhecimento e o gosto musicais à entrega que o fado exige).

A sua opinião?

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 16 de fevereiro de 2008.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

pub




Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/07 Ana Roque | Powered by TubarãoEsquilo | Editado com Movable Type | Top