« A Aranha e o Poeta | Main | A Boa Luta »

Sem Ecos no Silêncio Agora

"Donde no hay ecos el silencio es tan horrible como esse peso que no deja huir, en los sueños."

La Invención de Morel - Adolfo Bioy Casares


Saboreamos pelo tempo vivido
a parca alegria oferecida
neste palco de tábua embevecida
no pulsar de coração aturdido
Tristezas ensolaradas, frias
passagens de tempo presente
de vivências pretéritas no ingente
afã de buscar significado nos dias

Astros movidos por leis particulares,
dependentes de vãs lembranças
que desmoronam frágeis pilares

De dor em dor; em desesperança:
desarmonia de ossos e nervos
em bucólicos vilares.

Juscelino Vieira Mendes

A sua opinião?

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 13 de abril de 2008.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

pub




Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/07 Ana Roque | Powered by TubarãoEsquilo | Editado com Movable Type | Top