« Sir George Hayter | Main | Bertha Wegmann »

Contra o pote

Dizem que as gaivotas daqueles anos voaram imprudentes,
e que o ritmo nas asas se fez antigo e literário,
em certezas e cansaços que nem lembra ao diabo.

Eram voos sem idade, sem espaço para o acaso:
negavam as formas redondas da terra e ferviam
em tudo o que era geometria
(coisa invulgar, mesmo nos pássaros,
medir assim coisas, ângulos e alergias)
num voo rigoroso e cristalino,
contra o pote.

Dizem que era um destino insistente
e que havia laterais compensações humanas
a infirmar a falta de lugar e de urgente
- alguma acalmia, em forma de simpático pão.

Não houve paz, não houve guerra, tudo passou noutro sangue.

e as gaivotas voaram, sempre.

Fantásticas,
 livres,

e obedientes.

Sir Thomas Berard

Acerca

Esta é uma página de arquivo individual, publicada em 03 de março de 2017.

Post anterior

Post seguinte

Leia também a primeira página, faça uma pesquisa ou navegue através desta página de todos os títulos em arquivo.

Arquivo

&

Primeiro endereço

© 2004/12 Ana Roque | Powered by Querido.org | Editado com Movable Type | Top